ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

Vírgula entre o suj. e o pred.

[Pergunta] Antes de mais parabéns pelo site.

Se possível gostava de ter um esclarecimento acerca da utilização das vírgulas entre sujeito e predicado.

Agradecido pela atenção disponibilizada!

José Pinheiro :: :: Portugal

[Resposta] 1. Vejamos a seguinte frase:

«Pedro anda.» E esta:

«Pedro, anda.»

Uma vírgula mudou tudo. Na primeira frase (sem vírgula), Pedro anda, Pedro caminha, Pedro move-se. Na segunda (com vírgula), Pedro recebe uma ordem. Alguém manda-o andar.

Na linguagem oral, a segunda frase tem uma pausa e a primeira, não. Dizemos:

«Pedro anda» (primeiro caso) e «Pedro... anda» (segundo).

Este é um dos motivos por que se não pode pôr vírgula entre o sujeito e o predicado. Exceptuam-se apenas as situações em que o sujeito é o vocativo (e recebe uma ordem, um apelo). Em tais casos, a vírgula é muito conveniente. A sua ausência pode tornar confusas frases como: «Explode coração»; «Parabéns Saramago»; «Morre Suharto», etc., que se tornam mais claras com a vírgula: «Explode, coração»; «Parabéns, Saramago»; «Morre, Suharto».

2. Na primeira oração, em que se indica que «Pedro anda», pode haver necessidade de vírgulas - se intercalarmos complementos, apostos ou, mesmo, outras orações. Assim:

«Pedro, embora esteja doente, anda.»

«Pedro, filho de João, anda.»

«Pedro, que tem sapatos de sola reforçada, anda.»

Não se pode, contudo, pôr só uma vírgula: «Pedro, filho de João anda» ou «Pedro que tem sapatos de sola reforçada, anda» A clareza exige simetria na colocação das vírgulas que demarcam certos elementos da oração.

Em caso de dúvida, todavia, tal como acontece com os acentos, antes a menos do que a mais. A pontuação é como o sal: q.b.

J.C.B. :: 07/12/1998

[Sintaxe]
A análise sintática da frase
«Tudo o que o homem semear, isto também colherá»
«Estar ali, em casa»: reforço do predicativo do sujeito
«Fazer bem»: análise sintática
Modificadores e grupos preposicionais: «mãos de prata», «cabelos de oiro» (Camões)
«Para a Lúcia»: complemento oblíquo
Concordância com a expressão «a maioria» (sem complemento)
A classe de palavras de «nem sequer»
A sintaxe de vir: «vim pelo caminho»
A classificação da conjunção correlativa «nem... nem...»
A sintaxe de nascer

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos