ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

Fantasiado, particípio e adjetvo?

[Pergunta] Fantasiado pode ser também considerado adjetivo?

Ana Faria :: Professora :: Barcelos, Portugal

[Resposta] Tal como acontece com muitos outros particípios — como, por exemplo, cansado, preocupado, educado, aberto, aborrecido, embaraçado, enfurecido, desolado, ferido, torturado —, fantasiado (com o sentido de «vestido com fato de máscara, com fantasia») é um dos casos de «particípios verbais [que] funcionam sintaticamente como adjetivos, surgindo em posição predicativa [1a, b, c] ou atributiva [1d] e podendo ser modificados por expressão de grau [1b, c]» (Mira Mateus, Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa, Caminho, 2003, p. 374):

1 (a)  «Ele está fantasiado de monge.»

 «Ele está preocupado com a filha.»

 «Ela está cansada dessa polémica.»

    (b) «Ele está fantasiadíssimo de monge.»

 «Ele está preocupadíssimo com a filha.»

 «Ela está cansadíssima dessa polémica.»

   (c)  «Ele está muito bem fantasiado de monge.»

 «Ele está muito preocupado com a filha.»

 «Ela está muito cansada dessa polémica.»

   (d)  «Um rapaz fantasiado surgiu de repente.»

 «Uma pessoa preocupada apareceu aqui.»

«O aspeto cansado denuncia o excesso de trabalho.»

Ana Maria Brito indica-nos, ainda, que, «para além destas propriedades, outras aproximam particípios de adjetivos» (idem), enunciando-os :

— apresentam marcas de género e de número:

2 (a) «Ela(s) está (estão) fantasiada(s) de monge(s). Eles estão fantasiados de monge(s).»

   (b) «Ela(s) está (estão) preocupada(s) com a filha. Eles estão preocupados com a filha.»

   (c) «Ela(s) está (estão) cansada(s) dessa polémica.»

— em frases predicativas podem ser substituídos pelo clítico demonstrativo o:

3 (a) «Ele está-o realmente» (o = fantasiado de monge/preocupado com a filha).

   (b) «Ela está-o realmente» (o = cansada dessa polémica).

— certos adjetivos e particípios admitem diminutivos:

4 (a) «Ele está fantasiadito de monge.»

   (b) «Ela está cansadinha dessa polémica.»

— ambas as classes de palavras podem surgir em construções de sentido restrito e apositivo:

5 (a) «Os rapazes fantasiados esconderam o rosto.»

   (b) «Os rapazes, fantasiados, esconderam o rosto.»

   (c) «A mãe preocupada não quis assistir à reunião.»

   (d) «A mãe, preocupada, não quis assistir à reunião.»

Para se concluir se um particípio pode ser considerado adjetivo, deve verificar-se se é uma verdadeira forma verbal. Ora, «a prova da natureza verbal desses particípios é a possibilidade de serem acompanhados de advérbios temporais/aspetuais e a impossibilidade de surgirem em posição pré-nominal; quando as formas não admitem esses advérbios e quando ocupam a posição pré-nominal, são adjetivos:

6 (a) «uma província ocupada»/«uma província recentemente ocupada» (particípio)

   (b) «uma mulher ocupada»/*«uma mulher recentemente ocupada» (adjetivo)

7 (a) «uma reunião autorizada»/ *«uma autorizada reunião» (particípio)

   (b) «uma opinião autorizada»/«uma autorizada opinião» (adjetivo).

Portanto, «quando o particípio exprime apenas o estado, sem estabelecer nenhuma relação temporal» (Cunha e Cintra, Nova Gramática do Português Contemporâneo, Lisboa, Sá da Costa, 2002, p. 493), é usado como adjetivo.

Eunice Marta :: 17/05/2012

[Morfologia]
Pouco, quantificador existencial
Equestre e equina
A subclasse de nublado e estrelado
«Vocábulo formal» vs. «vocábulo fonológico»
«De vocês» = «vossos»
Contração ou não: «em nome de», «no nome de»
Juridicidade e juricidade
A subclasse do advérbio certamente
Orografia
Minimercado, tripé, bimotor e pós-graduação

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos