ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

Ponto de Perspetiva Temporal

[Pergunta] Podem explicar-me, por favor, o que é o Ponto de Perspectiva Temporal de que se trata nas propostas de Luís Filipe Cunha e Purificação Silvano? Posso substituí-lo por Ponto de referência? Muito obrigada.

Martina Caltová :: Estudante :: Brno, República Checa

[Resposta] O Ponto de Perspetiva Temporal é um conceito, inicialmente proposto por Kamp & Reyle (1993), na sua obra From Discourse to Logic: Introduction to Modeltheoretic Semantics of Natural Language, Formal Logic and Discourse Representation Theory, Dordrecht, Kluwer. A ideia central da criação deste conceito prende-se com a necessidade de estabelecer um intervalo de tempo que permita localizar as situações de maneira a serem encaradas sob uma determinada perspectiva na estruturação temporal do discurso. Assim, por exemplo, as frases representadas pelo pretérito mais-que-perfeito tomariam como seu Ponto de Perspetiva Temporal um dado intervalo no passado, localizando as situações descritas como anteriores a ele.

Kamp e Reyle sentem a necessidade de diferenciar o Ponto de Perspetiva Temporal do Tempo de Referência (noção que, tradicionalmente, lhe correspondia), na medida em que este último está reservado às relações temporais que se estabelecem entre as situações que se sucedem num texto. Assim, por exemplo, numa narrativa, cada situação toma como ponto de referência o intervalo de localização do evento anterior, permitindo, dessa forma, a ideia de progressão no tempo.

Vamos ver um exemplo prático:

«O João disse que o Pedro tinha acordado cedo, tinha tomado o pequeno-almoço em casa e tinha saído para o trabalho.»

Nesta frase, a oração principal («O João disse» serve como Ponto de Perspetiva Temporal para todas as outras, na medida em que estabelece um intervalo em relação ao qual todas elas vão ser localizadas (em termos gerais, todas acontecem num período anterior ao de «o João dizer»). No entanto, cada uma das frases apresentadas no mais-que-perfeito relaciona-se com a anterior em termos de sucessividade (ou seja, primeiro o Pedro acorda, depois toma o pequeno-almoço e, em seguida, sai para o trabalho. Para que esta relação de sucessividade se verifique, cada situação toma a anterior como ponto de referência, o que permite que se estabeleça a progressão narrativa. Assim, para a análise da estruturação temporal de um discurso complexo, tanto Ponto de Perspetiva Temporal quanto Ponto de Referência são noções necessárias e distintas, embora, por vezes, os intervalos para que remetem possam coincidir.

Luís Filipe Cunha :: 17/02/2012

[Semântica]
«Enganarmo-nos a nós próprios»: pleonasmo?
O significado de saroto
«Todo o corpo» e «todo corpo»
Referir as horas sem artigo definido
O brasileirismo popular «vamos comigo»
Conjuntivo: tempos simples vs. tempos compostos
O uso de «haver de ser» e será
A expressão quantitativa «uma tira de...»
Debaixo e «de baixo»
A etimologia do substantivo e adjetivo assassino

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos