ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

O processo de formação de aportuguesar

[Pergunta] Qual o processo de formação da palavra aportuguesar, tendo em conta que existe a palavra portuguesar? Já me foi dito que como a palavra aportuguesar surgiu primeiro, que era formada por parassíntese, mas como existe a palavra portuguesar no dicionário continuo na dúvida...

Rui Sousa :: Economista :: Funchal, Portugal

[Resposta] Um dos problemas que se levantam sempre que se analisa a formação de palavras é qual a posição a adotar. Analisa-se uma palavra tendo em conta o momento atual (visão sincrónica), ou tem-se em conta a história da palavra (visão diacrónica)? Dependendo da posição que se adote, o resultado poderá ser diverso. Assim, no caso de aportuguesar, se tivermos em conta o momento de nascimento da palavra, que, segundo o Dicionário Houaiss, aconteceu em 1666, podemos dizer que se trata de uma palavra formada por parassíntese, uma vez que na data em análise não havia a palavra portuguesar. Nesta interpretação, poder-se-ia considerar portuguesar formada por derivação regressiva a partir de aportuguesar, ainda que o mais comum seja considerar a derivação regressiva associada a nomes deverbais.

Por outro lado, a formação de palavras deve ter em conta, sobretudo, o momento de apreciação, ou seja, uma visão sincrónica. Nesse caso, a palavra deve ser analisada no contexto atual, e, hoje, verificamos que existe o verbo portuguesar, introduzido na língua em 1817, equivalente a aportuguesar, pelo que poderemos considerar aportuguesar uma palavra formada por prefixação e sufixação.

Salienta-se, ainda, que não é fácil chegar a um consenso alargado sobre a classificação de algumas palavras, muitas delas referidas de forma sistemática nas escolas. Por exemplo, a palavra aportuguesar poderá, ainda, ser considerada uma palavra simples, uma vez que a sua estrutura está já cimentada na fase atual da língua portuguesa, não constituindo uma palavra recém-formada, cuja análise seja produtiva do ponto de vista sincrónico. Segundo esta interpretação, as noções de composição e derivação, como processos de criação de novas palavras, seriam aplicadas, sobretudo, a palavras recentemente entradas na língua.

Edite Prada :: 05/12/2011

[Morfologia Construcional]
hipo- (prefixo) e hipo- (radical)
A origem do substantivo convívio
Formas corretas: adjetivos compostos relativos a cores
Desperdício e desperdiçar
O sufixo -ano em newtoniano, lagrangiano e laplaciano
Inintencional e desintencional
Equinocavovaro
A origem e a formação de pancada
A formação do verbo amolecer
Desterrar, verbo derivado por parassíntese

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos