ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

Sobre o pretérito mais-que-perfeito

[Pergunta] Por vezes o pretérito mais-que-perfeito simples substitui o condicional e o imperfeito do conjuntivo. Encontrei referência a isto em algumas perguntas anteriores mas não a resposta à minha dúvida: Quando é que o mais-que-perfeito pode substituir os outros dois tempos?

Muitíssimo obrigado e parabéns pelo óptimo trabalho!

Castro Franco :: Professor :: Porto, Portugal

[Resposta] Só na linguagem literária ou mais arcaizante, o mais-que-perfeito do indicativo substitui o condicional simples ou composto (futuro do pretérito no Brasil) e o imperfeito do conjuntivo (ver Celso Cunha e Lindley Cintra, Nova Gramática do Português Contemporâneo, pág. 456):

1. Valor de condicional (futuro do pretérito)

(i) «Um pouco mais de sol e fora brasa,

Um pouco mais de azul e fora além»

Mário de Sá-Carneiro

Nos versos em (i) a forma fora tem o mesmo valor que teria sido.

2. Valor de pretérito imperfeito do conjuntivo

(ii) Quem me dera!

(iii) Prouvera a Deus que eu não soubesse tanto!

Fernando Pessoa

Em (i), temos uma expressão corrente que mantém o antigo uso do mais-que-perfeito do indicativo pelo imperfeito do conjuntivo/subjuntivo; por isso, dera é equivalente a desse. Em (iii), o mesmo acontece com o verbo prazer: prouvera, mais-que-perfeito do indicativo surge em lugar do imperfeito do conjuntivo, prouvesse.

Carlos Rocha :: 04/05/2007

[Morfologia Flexional]
Infinitivo impessoal composto
Alternância vocálica do verbo subir
Plural de apelidos (sobrenomes)
Subclasses verbais
A conjugação de pôr
As formas finitas e não finitas dos verbos
Faz e faze
A classe de satisfeito: particípio passado, ou adjetivo?
A locução logo que com tempos do conjuntivo (Bárbara)
Futuro simples vs. futuro perifrástico: história

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos