ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pergunta | Resposta]

«Nova Gramática do Português Contemporâneo» ‘vs.’ «Gramática do Português Actual»

[Pergunta] Gostava de saber as semelhanças e diferenças entre a gramática de C. Cunha e L.Cintra em comparação com a Gramática do Português Actual, de José Moura. Além disto, também gostava de saber como é que a Nova Gramática do Português Contemporâneo está organizada. Obrigada!

Nuri Lopes :: Estudante :: Portugal

[Resposta] Convém, antes de mais, ter em conta que se trata de duas obras escritas em momentos diferentes: a Gramática do Português Actual (GPA), versão de 2005, tem um prefácio datado de 2001, enquanto a Nova Gramática do Português Contemporâneo (NGPC) data de 1984.
Por outro lado, foram elaboradas com obje(c)tivos diferentes. Celso Cunha e Lindley Cintra dizem, no prefácio da sua obra, que ela é (pág. XIV):

«uma tentativa de descrição do português actual na sua forma culta, isto é, da língua como a têm utilizado os escritores portugueses, brasileiros e africanos do Romantismo para cá, dando naturalmente uma situação privilegiada aos autores dos nossos dias. Não descuramos, porém, dos factos da linguagem coloquial, especialmente ao analisarmos os empregos e os valores afectivos das formas idiomáticas.»

É, pois, uma gramática que teve como obje(c)tivos descrever as características da língua portuguesa culta, numa perspectiva transnacional e abrangente.

Na Gramática do Português Actual, destinada, preferencialmente, a alunos do ensino secundário,

«A língua encontra-se perspectivada como um sistema estável e válido efectivamente acedido e partilhado pelos falantes do português europeu na sincronia deste começo de milénio…»

São gramáticas com obje(c)tos de estudo diferentes: a NGPC tem por base a língua culta dos países lusófonos, e a GPA centra-se no português europeu. Ainda que naquela não esteja explicitado o público a que se destina (e talvez por isso) ela tem, necessariamente, subjacente um grupo de leitores e estudiosos mais vasto do que esta.

Creio que poderemos considerar ambas gramáticas normativas.

Em relação à segunda questão que coloca, a abertura da obra na página do índice poderá esclarecê-la, a não ser que pretenda um estudo aprofundado cuja resposta não poderá passar pelo Ciberdúvidas. Aconselho, porém, a leitura do texto disponível neste endereço, onde encontra uma descrição breve mas interessante da obra.

Cf. Nova Gramática do Português Contemporâneo

Edite Prada :: 21/04/2006

[Gramática]
O conceito de adjetivo erudito
(na terminologia gramatical brasileira)
Os topónimos Sobral de Monte Agraço, Monte Abraão e Fátima
«Direcionado para/a» e «dirigido a»
Verbo anómalo
O uso do advérbio quão
A conjunção, preposição e adjetivo consoante
A definição de universais linguísticos
Numerais em datas
A classe de palavras de «no entanto»
A norma do português em África e na Ásia

Mostra todas

Ciber Escola Ciber Cursos