ciberduvidas Ter dúvidas é saber. Não hesite em nos enviar as suas perguntas. Os nossos especialistas e consultores responder-lhe-ão o mais depressa possível.

[Pelourinho] - Estrangeirismos

Operação cool

Luís Carlos Patraquim*

A língua portuguesa é cool. O cool em português não tem a panóplia de significados que pode ter na língua de David Cameron que foi muito cool, quer dizer, unfriendly, na ultíssima e decisiva cimeira da União Europeia, at least em relação à Frau Merckel. No idioma de Passos Coelho, a palavra, embora participando da significação do dicionário – something that is cool has a low temperature but is not cold – assume a maviosa textura de uma espécie de modernidade importada. É um must que se confunde com o glamour que só a juventude tem.

Quando o goal de uma campanha de prevenção rodoviária é a desempoeirada gente, à rasca ou não, que circula pelas magníficas autoestradas portuguesas e urge refrear-lhe a estroinice, essa gente que já só pensa em emigrar, o melhor é dirigir-se-lhe num português pós-moderno, ou num pós-português. E foi assim que uma jovem, cool, of course, recebeu um prémio cool das mãos do ministro Miguel Macedo. Ia a menina-toira pela “primavera autónoma das estradas” e eis que, mandada parar e assoprando, as remanescentes autoridades nacionais confirmaram que era e estava cool, cheia de limpinho. Mais cool do que isto nem os campinos no Ribatejo!

Ele já foi o Allgarve e os seus greens cleaníssimos; a West Coast of Europe e o mais que se inventar. E está bem. Albardar o burro à vontade do dono é velhíssima sabedoria. Os discursos dos executivos da Three Gorges e da EDP a seguir à consumação do business ilustram bem esta máxima: um negócio (da) para a China celebrado em Lisboa e saudado em inglês pelos anfitriões. Foi cool.

A verdade é que falar e escrever em português começa a ser teimosia de parolos and a very hard job. Num mundo pós-tudo e, em breve, dusty, urge conseguir-se um up grade consolidado da língua.

That’s all, folks!

03/01/2012

Sobre o autor

* Luís Carlos Patraquim (Maputo, 1953), jornalista, poeta, escritor e roteirista moçambicano, com diversificada obra publicada. Por exemplo, Monção (Edições 70 e Instituto Nacional do Livro e do Disco de Moçambique, 1980), A Inadiável Viagem (ed. Associação dos Escritores Moçambicanos, 1985),  Mariscando Luas (Editora Vega, 1992), Lidemburgo Blues (Editorial Caminho, 1997), O Osso Côncavo e Outros Poemas (Lisboa, Editorial Caminho, 2005), Pneuma (Editorial Caminho, 2009) e A Canção de Zefanías Sforza (Porto Editora, 2010).

Enviar:

Pelourinho

Registos críticos de maus usos da língua no espaço público.

Futuro... da preguiça
Um item, dois itens...
Dezenas de milhar(es) de pessoas
"Desgusta"... com desgosto
Sansão mas sem Dalila…
«De encontro a»,
«ao encontro de»
Notícia do desassossego
Como (não) «escrever com os pés»
"Confusión de confusiones"... desfolhadíssima
Um erro à discrição

Temas

Abreviaturas

Apelidos plurais

atestação/significado de palavras

Atitudes linguísticas

concordância

Corruptela

Discurso

estrangeirismos

Falsas etimologias

Género

Gralhas

Inadequação vocabular

Mau uso da língua no espaço público

Neologismos

Numerais

ortografia

Pleonasmos

pontuação

pronúncia

regência

Revisão de texto

Sintaxe

Tempos e modos verbais

Tradução



Autores

A. Tavares Louro

Afonso Peres

Afonso Peres

Albano Estrela

Alexandre Praça

Álvaro Cidrais

Amílcar Caffé

Amílcar Caffé

Amílcar Caffé,

Ana Martins

Anselmo Borges

Baptista-Bastos

Carla Viana

Carlos Ferreira

Carlos Marinheiro

Carlos Rocha

Carlos Rocha

Carlos Rodrigues Lima

Ciberdúvidas

D.C.

Duarte Calvão

Duda Guennes

Edite Prada

Edno Pimentel

Eduardo Oliveira e Silva

Emídio Fernando

Eunice Marta

Eunice Marta

Fernando Madrinha

Ferreira Fernandes

Francisco Belard

J. A. G.

J. A. G./J. M. C.

J. C. B.

J. M. C.

J. M. Nobre-Correia

J.A.G.

J.A.G./J.M.C.

J.C.B.

J.C.B./J.M.C.

J.C.B./J.M.C.

J.M.C.

J.M.C./J.C.B.

J.M.C./J.C.B.

J.M.C./M.R.R.

J.M.C./R.R.

J.M.M./J.M.C

Joana Capitão

João Alferes Gonçalves

João Alferes Gonçalves

João Alferes Gonçalves/José Mário Costa

João Alferes Gonçalves/José Mário Costa

João Cabrita

João Carreira Bom

João Gobern

João Miguel Tavares

João Querido Manha

Joaquim Vieira

José Carlos Abrantes

José Manuel Matias

José Manuel Paquete de Oliveira

José Mário Costa

José Mário Costa/Regina Rocha

José Neves Henriques

José Queirós

José Raimundo Correia de Almeida

Leonor Pinhão

Luís Carlos Patraquim

Luís Rainha

Luís Rainha

M. R. R.

M. R. R./J. M. C.

M.E.

M.R.R./J.A.G./J.M.C.

M.R.R./J.A.G./J.M.C.

M.R.R./J.M.C.

Manuel António Pina

Manuel António Pina

Manuel Matos Monteiro

Maria de Carvalho Torres

Maria João Matos

Maria João Matos

Maria João Matos/José Mário Costa

Maria Regina Rocha

Maria Regina Rocha/J. A. G.

Maria Regina Rocha/J. M. C./R.G.

Maria Teresa Teixeira

Mário Bettencourt Resendes

Miguel Esteves Cardoso

Miguel Magalhães

Milagres Porto Leite

Nuno Abrantes Ferreira

Pasquale Cipro Neto

Paulo J. S. Barata

Paulo J. S. Barata/José Mário Costa

Pedro Mateus

R.R./J.M.C.

Regina Rocha

Regina Rocha

Regina Rocha/J.M.C.

Revista Veja

Ricardo Araújo Pereira

Rita Pimenta

Rui Araújo

Rui Cartaxana

Rui Gouveia

Rui Zink

Sandra Duarte Tavares

Teresa Álvares

Teresa Landeiroto

Vital Moreira

Wilton Fonseca


Mostra todos

Ciber Escola Ciber Cursos